Por que Ele me amou, amo

0
104

Ao andar pelas ruas de minha cidade, deparo-me todos os dias com realidades diferentes. Vejo homens, mulheres, crianças, famílias inteiras catando lixo para sobreviver, dormindo debaixo de marquises sobre um pedaço de papelão, lutando no limiar da fome, do frio e da esperança. É muito comum, nos grandes centros, pessoas se dirigirem a nós pedindo ajuda, comida, uma palavra, um gesto de amor, e não é diferente comigo.

Quando alguém se dirige a mim, logo me vem à mente uma parábola de Jesus, a história de um homem machucado, sem esperança, largado em uma estrada perigosa. Muitas pessoas passavam por ele, mas não o ajudaram. Pessoas boas e conscientes do seu papel, mas impedidas pela tradição, pela religiosidade ou pelo medo. Até que um homem, o bom samaritano, enxergou além e viu, naquele momento, a oportunidade de amar e transformar uma vida. Com esse exemplo, Jesus ensina os cristãos a amar. Quando estou na rua e tenho a oportunidade de fazer algo pelo semelhante, logo penso: “Jesus me amou, por isso eu amo e vou demonstrar esse amor de forma prática”. Porque Ele me amou, não me conformarei com a desigualdade e o sofrimento daqueles que estão nas ruas. Porque Ele me amou, não terei medo de caminhar pelas ruas.

Porque Ele me amou, levarei a palavra de esperança de nova vida. Porque Ele me amou, não deixarei de amar o meu próximo.

Ore para que o amor de Deus nos inspire a amar mais o nosso próximo.

Renato Nunes
Gerente Executivo de Assistência Social