Transformando a dor em clamor

0
42

“Se tu podes fazer alguma coisa, tem compaixão de nós, e ajuda-nos.” Marcos 9.22

A Palavra de Deus motiva todo seguidor de Jesus a continuar insistindo em oração, mesmo quando tudo parece perdido. Esta semana temos aprendido com o pai do menino lunático que, mesmo quando tudo parece dar errado, devemos continuar clamando. Hoje você mais uma vez pode estar pensando como esse pai: “Nada aconteceu ainda. Acho que vou desistir”.

No entanto, é hora de olharmos para o que esse homem fez. Mesmo no meio de todo o barulho da multidão, e ainda que sua busca não tenha dado certo na primeira tentativa, ele não desistiu de clamar a Jesus: “se tu podes fazer alguma coisa, tem compaixão de nós, e ajuda-nos”, foi o que ele disse.

A multidão não foi capaz de sufocar o clamor daquele pai. Ele rogou ao Senhor. Suas palavras estavam cheias de desespero e dor, mas ele continuou a rogar. Fico a imaginar Jesus percebendo aquela voz em meio a tantas outras. – O que ele quer? – pergunta Jesus; e um dos discípulos responde: – Ele quer ajuda, ajuda para seu filho. Lucas acrescenta a palavra reveladora: “Meu único filho”. – O que há de errado com o menino? – Jesus pergunta. – Os sintomas parecem com epilepsia. Ele grita, convulsiona, espuma pela boca e se machuca – descreve o pai angustiado.

Independentemente da causa que havia deixado o menino naquele estado terrível, o fato é que ele estava muito mal. E seu pai também estava. Afinal, se o pai perdesse esse menino, a família morreria e um nome se perderia em Israel. Para um judeu, essa era uma perspectiva avassaladora.

Mas a dor daquele homem transformou-se em clamor, e Jesus o atendeu. Hoje, este é o convite que faço a você: transforme sua dor em clamor a Jesus. O que quer que esteja afligindo o seu coração neste dia, faça como esse pai: clame a Jesus. Mesmo que a multidão tente sufocar você, mesmo que as tentativas anteriores não tenham dado certo, e ainda que pareça demorado demais, simplesmente clame a Jesus.

Vamos orar para que Deus salve, cure e liberte os nossos filhos que estão sofrendo.

Crianças em Oração – Você se lembra de alguma vez que saiu e foi para um lugar onde havia tantas pessoas que não dava para contar nem usando as duas mãos? Se você nunca foi a um lugar assim, pergunte ao papai ou à mamãe se eles já foram. Quando todo mundo está conversando, o lugar fica barulhento, é difícil até de ouvir as pessoas que estão do nosso lado.

Imagine o pai da nossa história. Ele estava se esforçando muito para que Jesus ouvisse seu pedido. Ele não queria mais ver seu filho sofrendo. Então, falou muito alto para chamar a atenção de Jesus. Funcionou! Jesus ouviu a voz dele no meio de todo aquele barulho e foi saber mais sobre o que pai e filho precisavam.

Hoje o jeito que temos de falar com Jesus é pela oração, mas não precisamos falar muito alto como o homem da história. O importante é saber que Ele nos ouve até quando falamos bem baixinho. Agradeça a Deus por sempre nos ouvir quando falamos com Ele.

#fiqueemfamília