Temos a quem clamar

0
135

“Partindo dali, Jesus seguiu para a região de Tiro e Sidom. Uma mulher cananeia, vindo daquelas redondezas, pôs-se a gritar: Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de mim! Minha filha está horrivelmente endemoninhada.” Mateus 15.21-22

Deixando a Galileia, Jesus percorreu uns 60 km a noroeste até chegar à região de Tiro e Sidom. Não se sabe muito bem o motivo dessa viagem, mas provavelmente tenha sido para afastar-se um pouco da oposição religiosa, ou simplesmente para ter um período de descanso e privacidade com seus discípulos. Em Marcos 7.24-25 lemos que Jesus hospedou-se em uma casa e não queria que ninguém soubesse de sua presença. Era para ser uma espécie de “pausa” na missão. Mas Jesus nunca está em “pausa”.

Uma mulher não israelita descobriu que Jesus estava lá e foi ao seu encontro. Geralmente nos referimos a essa mulher como siro-fenícia, dada a sua origem da Fenícia, região que fazia parte da Síria.

Seu país tinha seus próprios deuses e sua religião. Era uma nação pagã, de onde viera a rainha Jezabel, a maquiavélica esposa de Acabe, que levou o povo de Israel à idolatria. É justamente isso que torna a história mais impressionante. Ela sabia que nada daquilo que os religiosos de seu próprio país ensinavam iria dar solução ao seu problema. Ela queria ver Jesus, falar com Ele, clamar por socorro diretamente a Ele. Imagino-a pensando: “Se Jesus está ao meu alcance, por que eu recorreria a outra pessoa?”.

Então ela consegue estar com Jesus. Não deve ter sido fácil. O texto diz que ela precisou gritar para chamar a atenção de Jesus. Ela apenas clamou por ajuda. Mas não foi um grito de socorro ao vento, para quem estivesse passando. Ela sabia a quem recorrer. “Filho de Davi”, foi como ela chamou Jesus: “Tem compaixão de mim. Minha filha está sofrendo na mão do diabo”. E Jesus a atendeu.

Querido pai, querida mãe, nós temos a quem clamar. Se Jesus atendeu a um grito distante de uma mulher estrangeira, num tempo “de folga”, com certeza Ele vai atender ao seu clamor hoje mesmo. Pare um tempo, respire fundo, e ore mais uma vez pelo seu filho, pela sua filha: “Jesus, tem compaixão de mim”.

Vamos orar para que Deus cuide de nossos filhos, tenha compaixão deles e os guarde do mal.

Crianças em oração – Jesus saiu da Galileia e foi para uma região chamada de Tiro e Sidom. Ele viajou bastante tempo, hospedou-se em uma casa e não queria que ninguém soubesse que Ele estava lá. Talvez quisesse descansar um pouco. Mas havia uma mulher, naquela região, que precisava de ajuda. Sua filha não estava bem. Aquela mulher era de um povo que tinha outros costumes. Na verdade, seu povo nem acreditava em Deus. A mulher sabia que os deuses do seu povo não podiam ajudar sua filha e foi para o caminho onde Jesus passaria para pedir a sua ajuda.

Você já teve dificuldade em uma tarefa da escola e ficou na dúvida sobre qual pessoa poderia ajudá-lo com a tarefa? A mãe da história de hoje sabia que se ela fosse falar com Jesus Ele poderia ajudar.

Ore pela sua mamãe. Ela se preocupa com você e quer sempre fazer o melhor por você. Aproveite esse tempo e ore pelas mamães em todos os lugares do mundo.

#Ficaemfamília