Deus não nos abandona nunca

0
258

“não temerei mal algum, porque tu estás comigo”. (Salmo 23)

Em busca do alimento, o rebanho passava em lugares perigosos. Uma ovelha poderia cair de um penhasco, ser atacada por salteadores ou por algum animal selvagem.

Para protegê-las, o pastor carregava um bordão feito de madeira robusta, que era usado contra os predadores. E também um cajado, feito de uma vara longa, com a ponta em forma de gancho que servia para orientar ou laçar uma ovelha quando caia em lugares de difícil acesso.

As ovelhas deitadas não poderiam ver o pastor, mas poderiam ver o cajado ou o bordão que denunciavam a presença do seu protetor. As ovelhas perdiam o rumo quando não avistavam esses instrumentos. Por isso estavam sempre atentas para não os perderem de vista.

Em dias chuvosos e sombrios não conseguimos ver a Deus, mas sabemos que ele está presente por aquilo que se torna visível os nossos olhos – as marcas que mostram sua presença protetora.

Entramos na semana da páscoa. Jesus começa sua caminhada para cruz. Sim, a cruz é a marca que Deus deixou de sua presença salvadora. Um instrumento frágil, mas o poder está naquele que venceu a morte. Quando olhamos para a cruz, sentimos todo amor, proteção, segurança e a graça da presença de Deus que não nos abandona nunca. Feliz Páscoa!

Pr. Luiz Roberto

#memorialdequarentena