Enquanto estamos sem abraços e beijos…

0
267

“E beijou a todos os seus irmãos, e chorou sobre eles; e depois seus irmãos falaram com ele”. Gênesis 45:15

Beijos, choro e conversa. Uma cena comovente da Bíblia que mostra o nascimento de uma família que se tornará benção para todas as outras.  Depois de tanto sofrimento, mágoas e tristezas, os irmãos se encontram e se abraçam.

A saga de José é a saga de todos nós. Somos caçadores da paz interior na busca da harmonia familiar.

Ciúme, vingança, briga, fofoca são gerados no próprio lar, lugar sagrado onde se espera proteção, abrigo e sustento. Mas, também, o perdão e a busca do diálogo são virtudes que encontramos em nossa própria casa.

Somos seres familiares e a experiência no lar é a melhor escola para o amadurecimento pessoal. Lugar onde aprendemos ser humildes em reconhecer os nossos erros e, a coragem suficiente para mudar as nossas atitudes.

Muitas vezes agimos e reagimos como resposta às nossas experiências de infância. Em casa, descobrimos o que somos e o que fazemos.

Enquanto estamos sem abraços e beijos, demonstremos nosso carinho com quem está ao nosso lado!

Que tal colocar um bilhetinho carinhoso na porta da geladeira. Um recadinho escrito no espelho do banheiro. Aos distantes, enviar uma mensagem de carinho. Invista tempo fazendo mimos para aqueles que estão enfrentando com você dias de isolamento.

A família é lugar de perdão e de festa. Da alegria, da mesa, das brincadeiras, dos aniversários. Fomos feitos assim – para amar e sermos amados!

Pr. Luiz Roberto

#memorialdequarentena